Quando o Senhor concedeu a terra de Canaã para o povo judeu, a palavra de ordem do Senhor a Josué foi que eles ocupassem a terra (Josué 1.2-3) – “Moisés, meu servo, é morto; levanta-te, pois, agora, passa este Jordão, tu e todo este povo, à terra que eu dou aos filhos de Israel. Todo o lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado, como eu disse a Moisés”.
O Senhor estava dizendo a Josué que seria com eles, e que confiassem na Sua Palavra e na Sua promessa. Josué deveria se levantar, e juntamente com todo o povo, cruzar o Jordão, para entrar na terra prometida e ocupar a terra, que diga-se de passagem, era uma extensa zona territorial. Assim como Josué precisava entender a responsabilidade que estava em suas mãos, e responder a ela, levantando-se para cumprir seu papel, nós também precisamos compreender a responsabilidade que o Senhor confiou a cada um de nós, e nos levantarmos nesses dias para avançar e ocupar os espaços na vida, na história, no coração das pessoas, e cumprir o propósito de Deus dentro da nossa sociedade.
Precisamos restaurar os papeis que Deus estabeleceu, e precisamos também ocupar os espaços no coração das pessoas – no coração dos nossos filhos, dos nossos cônjuges, dos nossos amigos, dos seus colegas de trabalho, talvez até na vida de um desconhecido, mas precisamos escolher ocupar esses espaços.
A grande verdade é que nunca saberemos o tamanho do vazio, da necessidade que existe na vida das pessoas, e dentro dos seus corações, se não cruzarmos o Jordão, se não estivermos dispostos a entrar e ocupar espaço, fazer-nos presentes, disponíveis, acessíveis, dispostos a preencher essas vidas com amor, atenção, carinho, consolo, perdão, compreensão, correção, alinhamento, direcionamento, e acima de tudo ajuda-las a perceber que o maior vazio, só pode ser preenchido com a presença e o amor de Deus através de seu Filho Jesus Cristo.
Jesus é um dos melhores exemplos disso. Ele não ficou parado, ele foi de encontro as pessoas, ele enxergou suas vidas, e viu os seus corações, percebeu como elas estavam vazias, sem direção, como ovelhas que precisavam ser guiadas, ser preenchidas – Marcos 6.34 “E Jesus, saindo, viu uma grande multidão, e teve compaixão deles, porque eram como ovelhas que não têm pastor; e começou a ensinar-lhes muitas coisas”.
Jesus poderia ter visto Zaqueu naquela árvore e passado reto, porém Ele escolheu ocupar seu espaço não só ao entrar na casa de Zaqueu, mas ao entrar na vida dele. Quantas pessoas estão ao nosso redor, curiosos, nos observando? Que possamos a exemplo de Jesus nos dispor a entrar na vida delas. Não precisamos ir longe, pois existem pessoas muito perto de nós precisando da nossa presença e da nossa atenção. Volto a dizer: Ocupe os espaços!
Já estamos vendo os efeitos de uma geração de pessoas “como ovelhas sem pastor”, literalmente mau criadas, egoístas, vazias de afeto e solidariedade com o próximo. Cheias de si, donas da verdade, muitas vezes cruéis, mas travestidas numa capa de falsa aparência de piedade. Se não ocuparmos o espaço que Deus nos mandou ocupar, esse espaço será ocupado de qualquer forma, porém, não dá forma que Deus estabeleceu, nem por quem Deus estabeleceu, e quando isso acontece, o resultado não é vida, é morte.
Precisamos ocupar espaços e lutar contra esse esvaziamento que estamos vendo nos dias de hoje. O esvaziamento dos papeis, o esvaziamento de valores e o distanciamento das pessoas tem causado grandes prejuízos não só ao indivíduo, mas ao coletivo, a sociedade como um todo. E esse processo precisa começar dentro de cada um de nós! Nossas vidas precisam ser preenchidas pelo Senhor e pela sua Palavra senão nossa piedade será falsa também, e nossa presença não fará diferença alguma.
Lembrem-se das palavras de Jesus em João 10.10 – Ele veio para que tenhamos vida, e vida em abundancia, em outras palavras, ele veio para ocupar, preencher nosso coração com a abundancia da sua presença eterna, para que a terra do nosso coração, não seja mais a mesma, não produza mais as mesmas coisas que produzia antes, não produza mais os mesmos frutos, não seja mais habitada pelo mesmo desejos e comportamento, mas seja radicalmente transformada para um novo propósito.
Quando os espaços são corretamente preenchidos (em nós e nos outros), vamos observar crescimento substancial, positivo e qualitativo na vida das pessoas – vidas são impactadas e positivamente transformadas. O resultado disso são famílias fortalecidas, igrejas fortalecidas, a sociedade como um todo fortalecida, porque não estamos gerando indivíduos vazios, ocos de entendimento, fé e humanidade, mas pessoas preenchidas com valores, e com princípios naturais e espirituais.
João quando escreve sua primeira carta, ele descreve com tanta clareza a pessoa de Jesus, e a presença de Jesus na sua vida, que mesmo depois de tantos anos, ele ainda descrevia como se tivesse acabado de acontecer – 1 João 1.1;3 – “O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida… O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo”.
Jesus havia ocupado seu espaço na mente, no coração e na vida daqueles homens, por isso o testemunho deles sobre o Cristo não era uma vaga lembrança, mas algo real, testemunhado com força, com a vibração de corações, preenchidos e ocupados pelo amor do Pai.
As pessoas não lembrarão de muitas das nossas palavras, mas lembrarão da presença e do impacto que tivemos na vida delas, do papel que ocupamos, do valor que trouxemos para dentro da história delas. Por isso, levante-se e ocupe os espaços, escolha fazer e ser a diferença que você quer ver!
Deus te abençoe.
Pr. Cristiano Lordelo

© 2016 Igreja do Nazareno Flamboyant
Siga-nos: