Não sei se você já reparou em algumas crianças quando estão diante do mar ou mesmo de uma piscina, elas ficam olhando para a água a frente delas com um misto de curiosidade e muitas vezes um certo medo, um receio de entrar. Geralmente nessas horas um dos pais, ou até mesmo um instrutor, costuma encorajá-las dizendo que elas não devem ter medo de entrar na água, mas que devem entrar e confiar que aquela experiência será muito boa para elas.
A verdade é que a medida que essas crianças vão entrando na água, elas vão aprendendo a mergulhar e a nadar, elas vão ganhando confiança e condições de se lançarem em piscinas maiores e em águas mais fundas. Elas já não precisam mais de boias nos braços, de ficar segurando toda hora na margem, ou até mesmo ficar no colo de alguém, pois elas aprenderam a permanecer na água desfrutando de momentos muito prazerosos.
Da mesma forma, nosso Deus e Pai, através do seu Santo Espírito, tem falado conosco, nos inspirando a entrar na sua presença, e a buscar águas mais profundas, sem que sejamos vencidos pelo medo, pela dúvida, pela dependência em alguém ou algo, mas crendo e confiando que essa experiência irá produzir mais crescimento e amadurecimento em nossa fé.
Domingo, na mensagem do culto, citei a passagem de Ezequiel 47, quando o profeta foi levado pelo Senhor em espírito e colocado diante de um rio. Ele observou que as águas nasciam por debaixo do Trono de Deus, e junto a ele havia um homem, provavelmente um anjo que o auxiliava, e este ia à sua frente medindo uma certa distância e depois se voltando para ele, o chamava para avançar – “E saiu aquele homem para o oriente, tendo na mão um cordel de medir; e mediu mil côvados, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos artelhos”.
Podemos perceber duas coisas muitas interessantes, a primeira é o fato da medida, pois ele foi medindo de mil em mil côvados, algo que nos ensina sobre as etapas, as fases da nossa vida. Nosso Pai tem um caminho muito claro diante de nós, plenamente medido pelo seu Filho Jesus Cristo, e ele nos chama a confiar e avançar. Ele quer que vamos avançando de fase em fase, de etapa por etapa, para que nosso crescimento seja sólido, e possamos aprender as lições para a nossa fé em cada etapa.
O Espírito Santo é o perfeito instrutor, Ele jamais nos joga nas águas de qualquer jeito. Ele tem uma maneira perfeita de trabalhar, respeitando nossa condição, mas edificando a nossa confiança, indo a nossa frente e mostrando que cada passo para dentro das águas de Deus é um passo sólido e seguro na nossa fé, forjando assim uma maior dependência Dele e no que Ele está fazendo, e menos nas coisas ao nosso redor. Um bom exemplo disso é Pedro, que enquanto confiava e dependia de Cristo, não olhando para as coisas ao redor, deu passos sólidos sobre as águas, mas quando começou a olhar ao redor, começou também a afundar (Mateus 14.28-30).
O Senhor já tem as medidas prontas em sua mente e vai a nossa frente para que vejamos que cada fase que está diante de nós pode e deve ser alcançada e vivida. Com o seu perfeito amor, Ele lança fora todo o medo – 1 João 4.18 “No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo…”. Permita-me te lembrar: O amor de Deus foi derramado em nossos corações (Romanos 5.5), então, livre-se de todo medo no seu coração, e se lance nas águas de Deus!
A segunda coisa, é que a medida que Ezequiel anda cada mil côvados, mais para dentro das águas do rio ele se encontrava – Ezequiel 47.3-5 “e a cada mil côvados, e me fez passar pelas águas, ÁGUAS QUE ME DAVAM PELOS ARTELHOS (tornozelo)… Mediu mais mil, e me fez passar pelas águas, ÁGUAS QUE ME DAVAM PELOS JOELHOS; mediu mais mil, e me fez passar pelas ÁGUAS QUE ME DAVAM PELOS LOMBOS. Mediu ainda outros mil, e era já um rio que eu não podia atravessar, porque as águas tinham crescido, águas que se deviam passar a nado, rio pelo qual não se podia passar”. Observe que esse era o processo, o resultado natural de andar os mil côvados. A cada mil côvados andados, mais profundidade era alcançada. Assim também acontece em nossas vidas com Deus quando nos aproximamos Dele e buscamos fazer a Sua vontade, naturalmente vamos entrando em águas mais profundas. Ezequiel percebeu isso, e ele mesmo faz uma leitura de onde as aguas estão batendo em seu corpo, no começo apenas nos tornozelos, mas à medida que ele avança, as águas vão subindo e subindo até que não dá mais para caminhar no rio, apenas nadar.
E nós, será que conseguimos fazer a mesma leitura, de onde estamos diante das águas de Deus? Será que conseguimos perceber onde as águas estão batendo em nós? Que profundidade já chegamos? Será que estamos nos tornozelos? Talvez nos joelhos? Ou será que ainda nem entramos nas águas, permanecemos parados diante do Rio de Deus, secos, precisando urgentemente nos molhar nessa água viva do Espírito Santo?
Assim como aquele homem celestial fez Ezequiel passar pelas águas, o Senhor também deseja nos fazer passar pelas águas. O convite está feito, resta saber como cada um de nós reagirá!
Não tenha medo de entrar nas águas, nem de conhecer as profundezas de Deus, tenha sim medo de não experimentar isso!
Deus te abençoe.
Pr. Cristiano

© 2016 Igreja do Nazareno Flamboyant
Siga-nos: