A maneira como enfrentamos as nossas lutas importa para Deus, e deve também importar para cada um de nós também. O Senhor nosso Deus, deseja ser honrado e glorificado através das nossas palavras e atitudes diante das circunstâncias que vivemos, e para nós, é uma importante oportunidade para mostrar, evidenciar o quanto de Cristo já está formado em nós e o quanto ainda precisa ser formado em nós.
Nem tudo é luta, nem tudo é problema, nem tudo é dificuldade na nossa vida. É verdade que tem horas que parece que a gente sai de um problema e já cai dentro de outro, mas boa parte do que fazemos está ligado ao processo cotidiano da construção das nossas vidas. Apesar de nem tudo ser problema ou luta, existe uma grande dose de responsabilidade, um peso sobre nós por aquilo que irá se desenrolar a partir das nossas escolhas e decisões.
Algumas dessas “coisas” podem até virar um problema, ou um problemão, por decisões, atitudes ou escolhas erradas. Permita-me fazer uma pergunta para a nossa reflexão: Porque em algumas questões da nossa vida, nós temos a tendência de diminuir a importância ou a atenção que Deus daria a nossa vida nessa situação?
É como se criamos em nossa mente um departamento onde não precisamos de Deus, porque para esses assuntos conseguimos resolve-los por nós mesmos, o que muitas vezes se revela um enorme engano. Estabelecemos áreas em nossa mente que dizemos: “Aqui eu preciso da mão de Deus, aqui eu preciso do agir dele, aqui é difícil demais para mim, e etc.”, enquanto que em outras áreas simplesmente dizemos com nossas atitudes: “Aqui deixa comigo, que eu sei o que devo fazer! ”. Precisamos trazer o Senhor de forma mais integral para dentro de nossas vidas, e não fazer Dele, uma válvula de escape, algo que eu me lembro que existe ou busco quando a coisa aperta para o meu lado. Nesse tipo de relacionamento, tratamos o Senhor como um ídolo, e não como o Deus e Senhor sobre nós.
Precisamos entender o que significa se render a Cristo. A igreja nos dias de hoje precisa resgatar esse valor do que significa acreditar que Jesus é o Senhor e Salvador da sua vida. Porque render-se a Cristo como Senhor, esse é o aspecto mais difícil! Reconhecer Jesus como Salvador é importante, e fundamental para o começo de qualquer coisa – sem isso não existe novo nascimento – porém, isso é menos difícil do que fazê-lo Senhor em sua vida.
Quando você foi apresentando ao Evangelho, você compreendeu rapidamente que era pecador e creu que precisava da salvação que Ele havia conquistado para você – Então você a recebeu da parte do Pai, pelo poder do Espírito. A Salvação trata disso, do que eu recebi, enquanto que o Senhorio fala do que eu entrego.
A Palavra grega Kurios, que no português é Senhor, representa governo, ou seja, o processo de senhorio Dele sobre todos os aspectos da sua vida. Fazer Jesus ser de fato o Senhor da sua vida, tem a ver com dar, com entregar para Ele. Isso é um processo de rendição, de aprender a colocá-lo em primeiro lugar, de honrar a sua presença, de dar lugar a Ele na sua vida e de aprender a fazer a Sua vontade. É um processo de negar a si mesmo, por isso algo tão difícil para nós, pois é mais fácil falar sobre isso do que fazer isso!
O grande problema, é que muitas vezes nossa entrega não é verdadeira, porque é só alguma coisa acontecer que pegamos de volta em nossas mãos; nossa submissão não é real, falamos de boca e não coração; nossa dependência não é total, é muito mais seletiva, nas coisas complicadas temos dificuldade em depender de Deus; e nossa fé e confiança é parcial, queremos muitos mais ver do que crer, por isso que alguns resultados em nossa vida são apequenados, são naturais, apenas comuns, porque refletem o resultado de quem está governando.
Precisamos aprender que os resultados de Jesus sempre são significativos, tudo o que foi colocado nas mãos de Jesus, nada se perdeu, tudo se tornou melhor. Com cinco pães e dois peixes, Jesus alimentou uma multidão. Uma mulher pega em adultério entregue nas mãos do Cristo, encontrou perdão, vida e salvação.
Tudo o que verdadeiramente colocamos nas mãos do Senhor, podemos esperar um resultado significativo, algo muito maior e melhor! Por isso que a primeira coisa que precisa estar nas mãos do Senhor é a nossa vida.
Nós precisamos desejar ser melhores! Todos que verdadeiramente tem colocado suas vidas nas mãos do Senhor, independentemente das circunstâncias que tem vivido, estão experimentando mudanças, estão crescendo, amadurecendo, se tornando mais fortes e sábios em Cristo.
O problema é que ainda há muito de nós em nós mesmos, e pouco Dele em nós! Cristo precisa voltar a ser formado em nós, mais do que nunca nesses dias tão complicados e difíceis que estamos vivendo.
A prioridade é Cristo, não se esqueça disso!
Gálatas 4.19 “Meus filhinhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até que Cristo seja formado em vós”.
Deus te abençoe.
Pr. Cristiano

© 2016 Igreja do Nazareno Flamboyant
Siga-nos: