Ciclos de Deus.

No final da mensagem do último domingo, falando sobre a restauração da cidade de Jerusalém, eu disse que a Porta Direita e a Porta da Guarda, às últimas duas portas antes da Porta das Ovelhas, representavam de forma profética dois ciclos que a igreja experimentaria antes da vinda de Jesus Cristo.
A primeira, a Porta Oriental representa o tempo em que o Senhor está chamando a Sua noiva para um despertamento espiritual e a entrada nos átrios do Pai, com verdadeira adoração, intimidade e comunhão com Ele. A segunda, a Porta da Guarda representa o tempo de a igreja lutar para preservar sua posição, sua fé, sua identidade e seu lugar na presença do Senhor. Se portando como igreja da última hora, como a noiva prudente, que mantém o azeite no seu candeeiro para aguardar o encontro com o noivo.
É muito interessante observar esses ciclos de Deus sobre a nossa vida, seja no aspecto individual, como no coletivo. Quando estamos atentos, vamos percebendo que a vida, tanto no natural como no espiritual é formada por ciclos. Por exemplo, vivemos os ciclos da infância, passando pela adolescência, juventude, chegando a vida adulta, onde outros ciclos começam a operar dentro de nossa história. Quanto mais vivemos, mais é possível enxergar a presença desses ciclos – os seus começos e fins, e entender melhor seus propósitos sobre nós.
O que precisamos fazer é estar atentos para saber fazer a leitura correta do momento que estamos vivendo. Lucas relata no Evangelho (Lucas 12.54-56) as palavras fortes e incisivas de Jesus dizendo à multidão: “Quando vocês veem uma nuvem se levantando no ocidente, logo dizem: ‘Vai chover’, e assim acontece. E quando sopra o vento sul, vocês dizem: ‘Vai fazer calor’, e assim ocorre. Hipócritas! Vocês sabem interpretar o aspecto da terra e do céu. Como não sabem interpretar o tempo presente? ”. Muitas vezes precisamos de um “presta atenção” para justamente prestar a atenção naquilo que não estamos enxergando ou querendo enxergar! Nosso grande problema é que para algumas coisas estamos extremamente atentos, enquanto que para outras agimos com alguma dose de hipocrisia, somos dissimulados e fazemos cara de paisagem.
Estamos vivendo um “tempo presente” difícil, com muitas coisas querendo roubar nossa atenção, nos enganar, nos distrair, nos desanimar, tirar o nosso foco, roubar nossa esperança e destruir a nossa fé, e não podemos nos entregar a isso! Precisamos saber interpretar os sinais, precisamos entender os ciclos de Deus em nossa vida, em nossa sociedade, no mundo e procurar acima de tudo compreender pelo Espírito, debaixo de qual ciclo estamos vivendo!
Usando as palavras de Jesus em Lucas – Qual é o seu tempo presente? Você consegue identificar o ciclo em que está? Você consegue fazer a leitura do seu momento? Porque no livro de Eclesiastes (Cap. 1-8), lemos que a tempo para todo proposito debaixo do céu. Precisamos aprender a lidar, a enfrentar, a entender e crescer com o tempo que estamos vivendo.
Muitas vezes estamos passando por um tempo cujo propósito é aprender a nos calar, e não falar. Outras vezes, é exatamente o contrário, é tempo de aprender a falar. Existem ciclos que trazem o choro, mas outros que produzem alegria. Experimentamos ciclos de paz, de mar calmo, de tranquilidade, mas existem tempos em que percebermos estar travando batalhas.
Precisamos ter em mente que todo ciclo tem seu tempo e seu propósito e não podemos nos entregar ao momento que estamos vivendo, seja ele bom ou ruim, achando que esse “tempo” permanecerá para sempre, porque nenhum ciclo é perpétuo por si próprio. Como eu já disse acima, todo ciclo tem um tempo e um propósito sobre as nossas vidas, e o Senhor usa tudo isso para que sejamos fortalecidos, formados em nosso caráter e na consistência da nossa fé, na semelhança de Cristo, nosso Senhor e Salvador, o modelo perfeito que nós conduz a uma vida vivida segundo a vontade de Deus.
Por isso, precisamos acima de tudo buscar sabedoria em Deus, buscar a presença do Senhor, comunhão com seu Santo Espírito e firmar a nossa vida na Palavra de Deus, para que possamos aprendamos a reconhecer os ciclos de Deus sobre nós, nos submeter a vontade do Pai, e aprender que a questão não é sobreviver, ou apenas suportar o momento que estamos passando, mas viver este momento, este tempo, este ciclo com fé e esperança em Cristo, aprendendo as lições, dando graças e glorificando a Deus.
Deus te abençoe.
Pr. Cristiano

© 2016 Igreja do Nazareno Flamboyant
Siga-nos: